Translate

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Mães...

Hoje, abri o Facebook e vi uma postagem do meu primo, Fernando Viera Vivo, a respeito dessa cachorrinha aí das fotos. O nome dela é Amanda, a mamãe heroína, porque arriscou sua vida para salvar seus filhotes de 10 dias, durante um incêndio em uma casa. Ela entrava e saía da casa em chamas carregando um filhote de cada vez para colocá-los no lugar mais seguro que encontrou, o caminhão dos bombeiros. Não parou até que todos os filhotes estivessem em segurança, depois, sentou-se ao lado deles, protegendo-os com seu corpo. Ela e seus filhotes foram levados às pressas para o hospital. Só um dos filhotes precisou de tratamento para suas queimaduras graves. A família toda foi salva graças à bravura de Amanda, um exemplo de mãe.

Logo depois, enquanto eu navegava pela internet e minha esposa zapeava a televisão, vi uma reportagem na Record a respeito de um casal que mora em um túnel de esgoto na marginal. Ele já foi uma pessoa bem-sucedida, chegou a trabalhar na África onde viu muita miséria. Infelizmente, entrou no vício da bebida e das drogas e foi parar nas ruas. Ela, uma jovem de classe média, que estudou em colégios particulares e sonhava ser modelo, depois de vários desentendimentos com a mãe, saiu de casa e também caiu na armadilha das drogas. A reportagem mostrava uma foto dela de 2008, loira, bonita e com um sorriso que estampava os belos dentes brancos. Hoje, ela não é nem sombra daquela moça da foto, perdeu vários dentes, emagreceu, envelheceu, não teve ajuda de amigos nem de parentes e também foi parar nas ruas. Para sua sorte, encontrou esse rapaz que cuida dela com muito carinho. Moram dentro de um túnel de esgoto e é ali que terá seu filho, pois está grávida.

A mãe dessa jovem também foi entrevistada e foi a sua entrevista que me deixou mais chocado. Sei que diante de uma situação dessas é muito difícil julgar as pessoas e peço desculpas a essa senhora se estiver sendo injusto com ela; porém, fiquei chocado com a frieza das suas declarações. Disse que as duas discutiam muito (talvez por causa do segundo marido dela, não tenho como afirmar) e que durante uma briga a filha disse que iria embora e ela respondeu que, se fosse, não voltasse mais. A moça contava com a ajuda de amigos, o que não aconteceu e ela acabou se envolvendo com drogas. A repórter perguntou se ela gostaria de visitar a filha lá naquele túnel e ela disse que não porque iria ficar com essa imagem para sempre, mesmo que a filha melhorasse de vida. Falou também que já havia chamado a filha várias vezes para se tratar e ela dizia que ia, mas não aparecia. Pediu para que ajudassem a moça, alguma entidade ou pessoas caridosas. Diante da declaração da filha de que estava parando de se drogar e de beber por causa da gravidez, simplesmente disse que ela não conseguiria, poderia para por dois ou três dias, mas voltaria aos vícios.

Como já disse, é difícil e perigoso julgar as pessoas, mas o que vi e ouvi durante a reportagem não mostrou em nenhum momento que essa senhora tenha feito algum esforço verdadeiro para salvar a filha. Vi sim a filha mais preocupada em não atrapalhar a família com a sua presença. Ela tem um irmão que mora com a mãe, mas o que frisou mais foi o relacionamento da mãe com o atual marido. Fico pensando como pode uma pessoa comemorar um Natal ou colocar a cabeça no travesseiro todos os dias, sabendo que tem uma filha e um futuro neto vivendo em condições sub-humanas e dar o caso por encerrado. Desculpe-me mais uma vez, minha senhora, se estiver sendo injusto, mas, como mãe, Amanda deu um exemplo muito maior de vida.

Nenhum comentário: