Translate

sábado, 6 de setembro de 2014

Autoentrevista com escritor da Amazon e do Widbook - Parte 1




É fato comprovado que   escritor desconhecido dificilmente tem a oportunidade de conseguir uma entrevista. Oras, se um pintor pode fazer seu autorretrato, por que um escritor não pode fazer sua autoentrevista? 

O nosso entrevistado de hoje é o escritor e ilustrador Paulo Araujo, autor de vários livros à disposição no site Widbook e também à venda na livraria mundial Amazon

Paulista - Paulo, como é escrever para internet?

Paulo Araujo - muita gente vive se perguntando se o prazer da leitura digital é a mesma de um livro impresso. Acho que os dois podem conviver harmoniosamente. Não tenho nenhuma restrição em trabalhar com livros digitais. Acho que a tecnologia só tem a ajudar para a difusão do hábito da leitura. O que importa para mim é chegar ao meu leitor, seja com livro em papel, no computador, no tablet ou no celular. 

Paulista - você tem hoje dois livros à venda na Amazon, não é mesmo?

 Paulo Araujo - tenho O Mergulho do Paulista e Cartas Marcadas

Paulista - fale um pouco sobre eles.

Paulo Araujo - O Mergulho do Paulista é um misto de autobiografia e crônicas do cotidiano. Ele narra a trajetória de um executivo de uma multinacional de telecomunicações que é pego de surpresa pelo fantasma do desemprego. Não encontrando uma saída imediata ele acaba se isolando numa pequena cidade litorânea do Espírito Santo. Passa a viver sem computador, celular, sem trabalho e tem de recomeçar a vida a partir do nada. Ali, ao mesmo tempo em que divide com o leitor a sua história, ele tem o cuidado de fazê-la contar-se por meio de seus novos companheiros, gente simples, humilde e cheia de contradições, como todo ser humano.

Paulista – Cartas Marcadas, me parece percorrer um caminho bem diferente.

Paulo Araujo – é um romance bem agitado, em ritmo cinematográfico que tem São Paulo como cenário. A história se inicia em 2005, no auge do mensalão.

Paulista – é um livro político?

Paulo Araujo – não necessariamente. É uma ficção, uma história que acontece em São Paulo e que tem como pano de fundo um quadro político levemente insinuado. Um sequestro inusitado é o fio condutor que une duas famílias bem opostas. Uma rica, dos Jardins e outra, pobre, da zona leste da capital. Os personagens se movem como num jogo de cartas marcadas, em meio à violência urbana, corrupção, drogas, luxo, sexo e traições.  

Paulista – existem personagens da vida real?

Paulo Araujo – claro, e em boa quantidade; porém, cabe ao leitor identificá-los. Ano que vem o mensalão estará completando dez anos, o julgamento da Ação Penal 470 encerrou-se este ano e a população ainda está na expectativa se os condenados serão realmente punidos. Para a juventude que saiu às ruas é uma leitura muito importante, numa linguagem bem próxima a ela e no ritmo de Hip-Hop.

Paulista – e é fácil comprar esses livros?

Paulo Araujo – muito fácil, basta entrar no site www.amazon.com.br e digitar na caixa de busca o nome do livro – O Mergulho do Paulista ou Cartas Marcadas. Não é necessário ter o leitor Kindle, você pode baixar uma versão gratuita para PC, tablet ou celular. Os preços são outro atrativo.

Paulista – na segunda parte da nossa entrevista eu gostaria que você falasse a respeito do Widbook

2 comentários:

Antonio Henrique Henrique disse...

Olá Paulo, achei bem interessante sua autoentrevista, foi bem criativo.hoje as plataformas widbook e wattpad ajudam ao escritor iniciante, como eu, a se inteirar e ficar mais maduro.
um abraço.
Antonio Henrique
www.navioerrante.blogspot.com.br

Henrique disse...

Muito criativo e interessante essa autoentrevista, além disso seus 2 livros são otímos!