Translate

quarta-feira, 18 de março de 2015

A rua é do povo

Fico vendo toda essa movimentação do governo depois do 15 de março e lembro de 2013. Quando o governo e os políticos viram que a imagem deles estava pior do que ruim reagiram estabanadamente. A 'presidenta' falou em plebiscito, reforma política e finalmente usou o Mais Médicos pra tentar engabelar o povo. Agora, lança mão de um pacote anticorrupção que estava cheio de teia de aranha na gaveta. 

Antes das manifestações o PT tentou convencer o povo de que ir pra rua era golpismo porque não acreditava que tanta gente iria. Depois de ver o tamanho das multidões, colocou dois ministros numa entrevista coletiva onde o Rosseto desdizia o que dizia o Cardozo. Um defendia a democracia que sabe ouvir todas as correntes de pensamento e outro dizia que só foi pra rua quem votou contra o governo e que classe média não é povo, branco não é povo. O Rosseto mais uma vez mostrou a sua curta linha de raciocínio e, na entrevista seguinte, foi substituído pelo ministro das Minas e Energia. Saiu Rosseto, entrou Braga. 

O PT agora reconhece que sua comunicação foi errada e errática e colocou num documento tudo o que a imprensa vem falando e que eles sempre disseram que era imprensa manipulada. A grande ideia do governo é investir mais em comunicação, principalmente em São Paulo onde o seu prefeito vive pintando faixas de ciclista e plantando árvores no asfalto e não tem tempo de ver que a sua popularidade está despencando. 

A ordem agora é fazer a 'presidenta' se expor cada vez mais, não importando os panelaços que venha a ouvir, a saída é a propaganda. Quer dizer, ao mesmo tempo que diz que temos de apertar os cintos e tenta aprovar um pacote de medidas de contenção de despesas, o governo anuncia que vai gastar mais em publicidade para melhorar a imagem da 'presidenta' e do prefeito. Esquecem-se que quando um produto é ruim, não adianta encher de propaganda. Elas podem enganar as pessoas na primeira compra, mas depois de provar o produto e constatar que ele é ruim, propaganda nenhuma mais surte efeito. 

A oposição também está perdida e ainda não sabe o que fazer depois das manifestações. Acho que ficou claro que impeachment e volta dos militares não fizeram sucesso nas manifestações. São absurdos de minorias que não conhecem a constituição e muito menos a história. 

Uma verdade, porém, para mim é inquestionável: povo é muito mais do que cor e classe social. Todo cidadão tem direito de se manifestar e a rua não é propriedade de um partido, de uma tendência política ou de uma só classe social. A rua é de todos!

Nenhum comentário: