Translate

terça-feira, 8 de março de 2016

Nem super-herói nem fascista

O juiz Sérgio Moro é praticamente um desconhecido do povo brasileiro. Seu nome começou a aparecer em 2014, quando teve início a operação Lava-Jato, ou seja, há menos de três anos. Antes da Lava-Jato chegar nos calcanhares de Lula só sabiam da existência dele as pessoas que acompanhavam o desenrolar da Lava-Jato. Nada, porém, era sabido da sua vida pessoal que pudesse elevá-lo à categoria de super-herói ou de fascista, era apenas um juiz tentando fazer seu trabalho. Nunca foi político, nunca esteve envolvido em suspeitas de se aproveitar do cargo para receber favores de amigos empresários, nunca teve de se explicar sobre escândalos de corrupção acontecidos debaixo das suas barbas sem que ele tivesse conhecimento, nunca teve despesas de guarda-móveis pagas por amigos, não é candidato a nada, não depende de pesquisas de opinião para saber como vai estar em 2018, não declarou ser uma jararaca e não tem um séquito de seguidores que o idolatram e o consideram acima da lei.

Já Lula, todo mundo conhece. Ele tem um longa história política iniciada como líder sindical no fim dos anos 70, tentou ser governador uma vez, tentou vezes seguidas ser presidente até conseguir ser eleito, em 2002. Cumpriu dois mandatos e elegeu sua sucessora. Esteve no centro do mensalão sem saber de nada e quando deixou a presidência disse que ia provar ao povo brasileiro a inexistência do mensalão. Está devendo até hoje, como também está devendo milhares de explicações sobre os favores recebidos de amigos da época do sindicalismo, de um compadre advogado bonzinho, de amigos empresários e pecuarista que, só por serem amigos dele não são da elite assim como ele que há anos deixou de ser pobre, virou milionário e deixou a família muito bem, obrigado. Lula alega ser um injustiçado porque está sendo investigado como dezenas ou talvez centenas de outros também estão sendo investigados e presos e não provocaram tanto estardalhaço quanto ele. Diz que deveriam respeitar a sua história e os milagres que já fez pelo País, esquecendo-se de que, ao se tornar celebridade, tem obrigação de arcar com os bônus e ônus de ter chegado lá. Não existe na história nenhum ser humano que tenha uma trajetória tão longa só acertando, nunca errando. Acontece que Lula, para seus seguidores fanáticos, intelectuais e artistas favorecidos por leis de incentivo à cultura, não é mais um ser humano, é uma instituição, uma entidade, um ser divino.

Voltemos a Sérgio Moro. Ao chegar nos calcanhares de Lula, começou a ser atacado, chamado de fascista antes mesmo da sexta-feira fatídica em que decretou a condução coercitiva de Lula a prestar depoimento na PF do aeroporto de Congonhas. Se acertou ou errou, vários juristas e advogados estão discutindo. Pode ter errado, afinal ele é um ser humano não uma entidade, mas o que tão grave ocorreu para, em menos de uma semana, ser atacado de forma tão brutal por militantes que estavam dormindo em suas cavernas e foram acordados pelos gritos palanqueiros da entidade? Lula foi preso? Não. Saiu do aeroporto e foi fazer seu chororô costumeiro na sede do seu partido, juntando uma multidão de gatos pingados do lado de fora e na porta do prédio em São Bernardo. Poucos, mas furiosos com a ousadia de um juizinho que teve a coragem de peitar um cidadão como outro qualquer, mas com toda a carga histórica de ex-presidente e de um endeusado líder das massas (que já não lidera), a prestar depoimento sobre sérias acusações que pesam contra ele.

Lula tinha mais é que agradecer Sérgio Moro pela oportunidade que teve de conclamar os guerreiros de seu partido a erguerem a cabeça, acordar simpatizantes e militantes e trazer de volta seu tesão de disputar uma eleição presidencial quase octogenário. Injustiça? O que é isso para quem dispõe de uma presidente sempre pronta a defendê-lo, que sai de Brasília no dia seguinte para solidarizar-se com ele e tirar foto na sacada do prédio como cabo eleitoral mais influente da sua candidatura. Dilma se diz indignada com o que fizeram com seu padrinho, mas não fica indignada com a situação em que deixaram o País, não se indigna com os milhares de funcionários de empreiteiras que perderam empregos por causa das roubalheiras na Petrobrás, que não receberam ainda um tostão, estão desempregados e só não passam fome devido à ajuda de sindicatos, parentes e amigos, a maior parte no nordeste e em Pernambuco, terra natal daquele que conseguiu o milagre de não morrer antes dos cinco anos e que se considera perseguido pelas elites e pela mídia golpista que não se conformam de ver pobre se tornar rico, como se ele fosse o primeiro e único a chegar lá. O que não falta são exemplos de pessoas pobres que se tornaram empresários bem-sucedidos, com muito trabalho e não às custas de favores de amigos e de empresários bonzinhos que dão sem nada pedir em troca. Pesquisas já confirmaram que os maiores empreendedores são justamente os que construíram a partir do nada e não aqueles que herdaram empresas fortes e as destruíram. Isso já existia a milhares de anos antes de Lula existir. 

Sérgio Moro não tem ninguém para defendê-lo, a não ser o povo, dos ataques que vem sofrendo nas redes sociais depois que ousou se aproximar da jararaca mais famosa do mundo. O mais insano nos ataques que vem recebendo são as acusações destituídas de qualquer racionalidade, puro revanchismo daqueles que se consideram donos da verdade. Dizem que Lula está sofrendo um pré-julgamento. Os mesmos que dizem isso fazem seu pré-julgamento quando atacam o juiz com insinuações descabidas, tramas conspiratórias paranoicas e acusações infantis como a de que Sérgio Moro tem parentes no PSDB. E daí? Eu tenho amigos e parentes petistas e não destrato e não sou destratado por nenhum deles, isso é democracia. Lula ter amigos empresários que pagam obras milionárias e armazenamento de mimos que ele ganhou quando era presidente é normal, mas o juiz ter parentes que são do PSDB significa que ele está associado ao PSDB para derrubar Lula e o PT, faça-me o favor! Fotos e supostos desvios de conduta do juiz na juventude e alucinações de envolvimento dele com a Rede Globo que começaram a chover no Facebook não são nem dignos de comentários. 

Domingo está logo aí, espero que não aconteçam cenas repugnantes de violência gratuita entre petistas e anti-petistas, assim como aconteceu também na votação das primárias tucanas para a escolha do candidato a prefeito no final do mês passado. Fico preocupado com as convocações para ato a favor de Lula na avenida Paulista no mesmo dia e local já definido antes da black friday do Lula. Não que isso vá acontecer de fato porque não deve passar de uma manobra para tentar esvaziar as ruas. Por que não convocam uma manifestação para outro dia? Por medo de ter apenas os mesmos gatos pingados de sempre? Espero também que nossa presidenta se lembre de que foi eleita para governar um país inteiro e não apenas uma camada da população. País que está no buraco econômico por causa do governo incompetente que está fazendo. Que ela aproveite melhor o tempo que tem para tentar tirar o País do buraco onde o meteram do que ficar bancando a advogada de defesa de alguém que já tem advogados muito bem pago para isso, ou será que tem alguma construtora pagando pra ele?

Nenhum comentário: